Sabores de Lages: Festival Gastronômico valoriza produtos da Serra Catarinense

Inovar nas receitas utilizando ingredientes com identidade regional foi o desafio aceito por 35 estabelecimentos gastronômicos.    

O Festival Gastronômico Sabores de Lages está recheado de sabores. Proprietários de estabelecimentos gastronômicos da cidade inovaram ao combinar ingredientes locais com outras iguarias e estão surpreendendo o paladar dos clientes. O evento ocorre até o dia 30 de agosto e contempla 35 bares, restaurantes, lanches e cafés. A programação completa pode ser a acessada no site www.festivalsaboresdelages.com.br



Quem organiza o Festival é o Núcleo de Gastronomia com a parceria do Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas de Santa Catarina (Sebrae/SC). O açaí, fruto típico do norte do Brasil, vem acompanhado do queijo artesanal serrano, produto da Serra Catarinense. As águas frias e limpas da região formam o habitat perfeito para truta. No Sabores de Lages, o peixe é o ingrediente principal de um prato aromatizado com erva mate e ainda tem chips de pinhão na composição. A novidade chegou ao cheesecake com a utilização da goiaba feijoa e o mel de melato da bracatinga, dois produtos exclusivos da Serra Catarinense.

 

Para o coordenador Regional do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de (Sebrae/SC), Altenir Agostini, além de divulgar a gastronomia local e regional, o Festival está focado na identidade cultural da região e ajuda a fortalecer a gastronomia como um importante atrativo turístico. “Essa é uma das principais novidades do Festival. Os estabelecimentos são incentivados a criar pratos inéditos, dentro de suas especialidades, mas contemplado produtos regionais”.

 

Empresários inovam para atrair atenção do público

 

Além de fortalecer a economia de Lages, o evento torna o setor gastronômico mais competitivo e inovador. Para tornar o clima mais agradável e divertido, o Embaixada Bar promoveu uma noite cultural com tributo ao rock e levou uma kombi de chope para a estação ferroviária de Escurinho, na Coxilha Rica, durante um passeio de Maria Fumaça.

“Foi muito legal, uma atividade diferente que teve boa receptividade do público. No bar, muitos clientes novos e os mais antigos aproveitaram para experimentar o prato do Festival,  um mix de nhoque de abóbora e pinhão com costela desfiada ao molho de cerveja Stout e alecrim”, conta um dos proprietários, Ricardo Pegoraro Franzói.

 

O Bar Galpão Gaúcho promoveu um costelaço e deu de presente para o público uma apresentação da boa música regional nativista e danças folclóricas. "Participamos todos os anos e sempre procuramos oferecer algo diferente para o nosso cliente", relata o proprietário, Romualdo Bohrer.

 

O coordenador do Núcleo de Gastronomia e proprietário de três restaurantes na cidade, Ruan Rangel, conta que as pessoas chegam aos estabelecimentos sabendo do Festival. “Divulgamos bastante para que o público tivesse a oportunidade de participar. Os empresários capricharam na produção dos pratos e o público respondeu comparecendo”.

 

 

Por: Catarinas Comunicação

Imagens : Ricardo Pegoraro Franzói