Música na Serra une músicos de várias partes do Brasil e do mundo

Dos diversos idiomas falados entre os participantes do 6º Festival Internacional Música na Serra, o da música é aquele que não há barreiras de compreensão.

 

  As masterclasses começaram e os cerca de 60 alunos e os 23 professores enchem as salas de aulas de escolas lageanas com música, dança e canto. Nesta terça-feira, sobem ao palco do Teatro Marajoara os professores de cordas e piano em apresentação gratuita.

 

 O professor de viola e música de câmara, Marcelo Jaffé, participa do festival pela segunda vez. Foi através do maestro Jean Reis que Jaffé conheceu o evento, que considera sensacional, principalmente por acontecer durante, segundo ele, um momento delicado do nosso país. “Há uma falta de política cultural vindo do Governo Federal, por causa da crise houve uma diminuição muito grande do apoio”, acrescenta.

Por causa disso é grande a importância de eventos como o 6º Festival Internacional Música na Serra, principalmente para os jovens e crianças, o que gera uma preocupação com a cidadania e com aquilo que pode gerar uma diferença na vida dessas pessoas. “Como é um momento muito complicado, acredito que será preciso muito tempo para retomar o investimento na cultura. O Música na Serra é um bastião de resistência durante este período”, ressalta Jaffé.

O paulista Kauê Belisário da Silva, 28, estuda viola há cerca de 10 anos. Esta é a segunda vez que participa do Festival como bolsista e mesmo com as temperaturas acima dos 20ºC, estava com frio. Antes de começar a especializar na viola, Kauê tocava outros instrumentos, como violão e guitarra. A vontade de levar a música como profissão fez Kauê começar a estudar o novo instrumento.

Kauê e Jaffé participar do primeiro dia de masterclass

Evento deveria acontecer em mais cidades, avalia bolsista

Boaz Castro, 24, e Rafael Melo, 23, participaram nesta segunda da masterclass de violoncelo do professor Viktor Uzur. Esta é a segunda vez em Boaz, morador de Campinas (SP), que desde os 16 estuda violoncelo, é bolsista do Festival. Acostumado a participar de diversos festivais, ele acredita que eventos como o Música na Serra deveriam acontecer em mais cidades brasileiras.

Já o catarinense Rafael Melo está pela terceira vez no Festival. Segundo ele, a importância de estar neste ambiente, além de aprender ainda sobre o instrumento, é poder estar em contato com colegas, amigos e fazer novos contatos. Além de aprender com bons professores e novas oportunidades, o que ele acredita faltar em Santa Catarina para os músicos.

Professor sérvio participa pela quinta vez

O professor sérvio, Viktor Uzur, está pela quinta vez no Festival. Em inglês, já que mora nos Estados Unidos e arriscando algumas palavras em português, Viktor deu aula para Boaz e Rafael nesta segunda-feira. Analisando as mudanças em que o Música na Serra passou nos últimos anos, ele percebe que o evento cresceu muito, já que começou com um grupo pequeno de músicos e agora têm uma orquestra completa e um coral.

Para ele é importante que o evento aconteça não apenas em capitais, mas também no interior, já que leva cultura para as diversos grupos de pessoas. “Assim, todos têm a vivência, principalmente a comunidade regional”, acrescenta. Viktor ainda exemplifica que, em eventos como este, é possível dar a experiência de ouvir artistas de diversas partes do mundo e músicas que foram compostas por artistas de outros séculos.

Um exemplo disso é a sonata para cello e piano, L.135 do francês Claude Debussy do século 19, que será apresentada nesta segunda-feira (16) por Viktor no violoncelo e pelo georgiano Guigla Katsarava no piano. O músico participa de festivais no Brasil há 10 anos e para ele, o Música na Serra é um dos maiores eventos do País.

Nesta terça, a partir das 20h, serão quatro apresentações com seis professores. Além da sonata L.135; os músicos tocarão Pieces in Folk Style de Roberto Schumann; Trio para violino, viola e cello No. 3 em C menor, OP. 9 de Beethoven e Flute Quartet No. 1 in D major, K. 285 de Mozart. O 6º Festival Música na Serra vai até sábado, com apresentações gratuitas durante todas as noites.

Professor Viktor está pela quinta vez no Música na Serra

Confira a programação completa:

Terça-feira (17)

Professores em cena

Cordas e Piano

Quarta-feira (18)

Fernando Ávila & Quinteto Versatilis

Acordeon – Quinteto de Cordas

?Quinta-feira (19)

Orquestra Acadêmica?

Ballet Infantil & Orquestra

Classe de Canto

?Sexta-feira (20)

Coro infanto-Juvenil

Coro Música na Serra

Ballet ” CARMEN” de Bizet

Suíte versão reduzida

?Sábado (21)

Concerto de Encerramento

Orquestra Sinfônica

Solista: Lyndon Taylor

Coro Música na Serra

Regência: Jean Reis

 

Matéria e fotos : Camila Paes / clmais.com.br/musica-na-serra-une-musicos-de-varias-partes-do-brasil-e-do-mundo/