Hospedagem alternativa garante conforto e comodidade dos turistas durante a Festa do Pinhão

A listagem das residências que podem ser contratadas como hospedagem alternativa pode ser conferida no site www.visitlages.tur.br.

 A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo está à frente no processo de organização, cadastro e divulgação das casas que serão usadas como hospedagem alternativa / Fotos: Divulgação

A alta temporada de inverno movimenta a Serra Catarinense. São milhares de turistas que se deslocam para os municípios de toda a região em busca de tranquilidade, conforto, diversão e até, quem sabe, ver a tão famosa neve. Mas quando falamos em turismo nesta época, um dos eventos que mais atraem pessoas para a região serrana é a Festa Nacional do Pinhão.

Todos os anos a rede hoteleira de Lages e dos municípios vizinhos fica lotada para o evento. E quando isso acontece a hospedagem alternativa registra uma grande procura. São famílias que abrem as portas e os quartos de suas casas para receber e acomodar o turista que também prefere este tipo de hospedagem.

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo está à frente no processo de organização, cadastro e divulgação das casas que serão usadas como hospedagem alternativa não só durante a Festa, mas sim para todo o período de inverno. O site de divulgação da hospedagem alternativa com as fotos das residências e informações dos responsáveis é o www.visitlages.tur.br. “As pessoas que desejam cadastrar seus imóveis como hospedagem alternativa ainda podem o fazer. Basta nos procurar aqui na Secretaria. Nossa equipe faz a visita técnica e assim que preenchidos os requisitos a casa já é inserida no site. Toda a negociação é realizada entre o interessado e o proprietário, nós só disponibilizamos a divulgação em um canal oficial”, explica o executivo de Turismo, Luís Carlos Pinheiro.

Para realizar o cadastro do imóvel na hospedagem alternativa é necessário o pagamento de uma taxa de R$ 50. Este dinheiro é revertido, na sua totalidade, ao Fundo Municipal de Turismo. “Atualmente no site temos 16 cadastros disponíveis para hospedagem alternativa, além de outras ferramentas de divulgação como as redes sociais com outras opções. Com isso, temos com certeza mais de 60 meios de hospedagem alternativa”, conclui Pinheiro.